Dois em cada três filiados ou ativistas do PSD são contra a liberação da venda e consumo de bebidas alcoólicas nos estádios durante a Copa do Mundo de 2014, a ser realizada no Brasil. Isso foi o que mostrou a consulta instantânea realizada via SMS pelo PSD.

Na quarta-feira, dia 18, filiados e ativistas de todo o Brasil com celulares cadastrados no partido receberam mensagens pedindo sua opinião sobre a questão. Para participar, bastava responder digitando a letra A (a favor) ou B (contra). Cerca de 20% das pessoas consultadas responderam imediatamente.

O resultado foi indiscutível, com 64,1% de votos contrários à liberação e 35,9% favoráveis.

Recentemente aprovada pela Câmara Federal, a Lei da Copa – que regulamenta as questões referentes à realização da competição no País – suspendeu a legislação federal contida no Estatuto do Torcedor que proíbe a venda de álcool nas arenas esportivas.

Alguns parlamentares entendem que o texto aprovado permite a interpretação de que a Fifa, entidade que comanda o futebol mundial, teria de negociar com os Estados a permissão para o comércio de álcool. Argumentam que, na ausência da lei federal, valeriam as estaduais, e alguns Estados-sedes do Mundial proíbem a venda de bebidas nos estádios.

Já o governo afirma que o acordo firmado com a Fifa para garantir a venda de bebida durante os jogos será cumprido, mesmo com a autorização genérica prevista na proposta, por considerar que a determinação federal se sobrepõe às legislações estaduais.

A Lei da Copa ainda precisa ser analisada pelo Senado, o que pode ocorrer até o final deste semestre, e depois seguirá à sanção presidencial.